Pitangueira

No quintal da minha casa tem uma pitangueira. Levou anos para crescer!

Nesta primavera ela encheu de frutos: abundantes pitangas bem vermelhas e doces!

E nestes dias fico muito feliz em saboreá-las, minha fruta preferida!

Não é apenas o sabor da fruta, comer pitanga “direto do pé” traz boas lembranças de minha infância.

Na rua onde ainda moro, havia poucas casas,  nenhum prédio e bastante mato.

Atrás da casa, uma grande vegetação. Para podermos pegar ônibus para a “cidade”, passávamos por uma trilha até a rua principal do bairro. Onde há hoje o Parque de Coqueiros havia o Saco da Lama e o mar vinha até a rua geral. Esperávamos o ônibus vendo os peixinhos no mar da baía sul.

A meninada vivia brincando na rua. Não precisava de adultos para resolver os nossos conflitos. Vivíamos no mato e nos terrenos dos vizinhos “roubando” frutas. A variedade era grande: pitanga, goiaba, carambola, jambolão, gabiroba, araçá, maracujá, bergamota, amora…

Agora a criançada da cidade não tem mais esta felicidade.

Sabor de pitanga tem o gosto da infância feliz que tive!

Anúncios