Colhendo Frutos…

O início da semeadura foi em meados da década de 90. Vivíamos na nossa cidade uma gestão de esquerda na prefeitura e propusemos à secretaria da educação um lindo projeto cultural “Alevanta Boi Brincá”. E foi aí que iniciei meu aprendizado sobre o nosso Boi de Mamão e as danças populares da Ilha e do Brasil, com esse meu camarada, Mestre da Cultura do Popular, um ser brincante, o iluminado Nado!

Quase três décadas depois, Nado me convidou para participar de outro projeto de lindezas: Entra na Roda! Partilhas de Danças e Cantares do Litoral Catarinense, realizado pelo Grupo Arréda Boi da Barra da Lagoa. Um reencontro com esse querido que amo e admiro muito, com sua família e amig@s!

Foram momentos de grandes emoções! Um sonho realizado…

Ver que ainda há pessoas que respeitam os mais velhos, valorizando os saberes e viveres. Como aprendi com a Dona Ivone e Seo Bebê!!!

Dançar e aprender mais sobre a nossa cultura popular, conviver com um grupo tão maravilhoso de talentos sem fim, brincar feito criança, celebrar a vida depois de viver tempos difíceis com a pandemia… Foi demais!

Muito agradecida… Já estou com saudades! Valeu Camaradas!

Força na Luta!

Fotos: Joaquim Corrêa

A Volta da Capoeira!

De preto e vermelho
Licença à Exu
Depois de dois anos de privações, por causa da pandemia
A roda de Axé formada
À sombra da aroeira
A volta da Capoeira!

Estar na roda presencialmente
Foi uma grande emoção
Tocar berimbau e cantar
Mais um ano da vida do amigo celebrar

Com os ventos de Iansã
E as águas de Oxum
O sentimento é de liberdade e de gratidão

Valeu Camaradas!

O Menino Que Carregava Água Na Peneira

Que sejamos como o menino da poesia de Manoel de Barros, carregando água na peneira para viver um ano melhor. Esperançar e lutar por uma sociedade mais justa e solidária!

Saúde e Axé!

Josinha

“Tenho um livro sobre águas e meninos.

Gostei mais de um menino que carregava água na peneira.

A mãe disse que carregar água na peneira era o mesmo que roubar um vento e sair correndo com ele para mostrar aos irmãos.

A mãe disse que era o mesmo que catar espinhos na água.

O mesmo que criar peixes no bolso.

O menino era ligado em despropósitos.

Quis montar os alicerces de uma casa sobre orvalhos.

A mãe reparou que o menino gostava mais do vazio do que do cheio.

Falava que os vazios são maiores e até infinitos.

Com o tempo aquele menino que era cismado e esquisito porque gostava de carregar água na peneira.

Com o tempo descobriu que escrever seria o mesmo que carregar água na peneira.

No escrever o menino viu que era capaz de ser noviça, monge ou mendigo ao mesmo tempo.

O menino aprendeu a usar as palavras.

Viu que podia fazer peraltagens com as palavras.

E começou a fazer peraltagens.

Foi capaz de interromper o vôo de um pássaro botando ponto final na frase.

Foi capaz de modificar a tarde botando uma chuva nela.

O menino fazia prodígios.

Até fez uma pedra dar flor!

A mãe reparava o menino com ternura.

A mãe falou: Meu filho você vai ser poeta.

Você vai carregar água na peneira a vida toda.

Você vai encher os vazios com as suas peraltagens e algumas pessoas vão te amar por seus despropósitos”.

Manoel de Barros

Sou Ritmista!

Foto: Joaquim Corrêa. Carnaval 2010.

Hoje comemoramos o Dia d@ Ritmista!

Desde o ano de 2001 sou ritmista da minha escola de samba do coração Unidos da Coloninha! São vinte anos de muitas emoções vividas na Passarela Nego Quiridu, na Ilha de Santa Catarina.

Comecei na ala do chocalho e no ano de 2010 meu Mestre e amigo Dú da Cuíca me convidou para sair na ala das cuícas, onde me apaixonei por este instrumento mágico! Gratidão Mestre Dú!

Parabéns a tod@s @s ritmistas do Brasil!
Muita saúde e batucadas!

Viva o Povo do Samba!

Viva a Cultura Popular!

Salve meu Mestre Dú da Cuíca!

Mapeamento Social da Capoeira

Salve Camaradas,
Devido à pandemia, interrompemos nosso trabalho e agora estamos retomando o Mapeamento Social da Capoeira.
Vamos nos reunir virtualmente para definirmos:
A sequência de edição das entrevistas já gravadas dos mestres e mestras e,
a retomada para as próximas.

Estamos abrindo para a participação de mais camaradas para o nosso Grupo de Trabalho.
Anotem suas sugestões para esse encontro para debatermos junt@s.

Dia 21 de outubro, quinta-feira, 19h
A reunião será via google meet.
O link será enviado no grupo de WhatsApp do Fórum. Se você ainda não está no grupo peça o link pra entrar, chama aqui ou no privado.

Participe! Chama @s camaradas. Nossas decisões são sempre coletivas!

Trinta e Três, no Toque de Iúna…

Hoje celebro 33 anos de Capoeira. Mas não tenho vontade de comemorar!

Resistir na Capoeira nestes tempos difíceis de pandemia e de isolamento social está sendo uma tarefa difícil!

A saudade imensa de estar na rua, nas rodas, d@s camaradas. A pandemia nos aproximou de quem estamos longe e nos distanciou de quem estamos perto.

Viver com a dor de mais de trezentos mil brasileir@s e milhões de vidas perdidas no mundo. Presenciar governos genocidas e com gente que não está nem aí para as recomendações de profissionais da saúde, estes já no esgotamento de suas forças para o combate do vírus letal.

Grandes desafios a serem superados, não somente os financeiros, mas para manter a saúde corporal, mental e espiritual.

Capoeira é Luta, é Resistência, é Persistência!

Tenho esperança que vamos superar e tudo isso vai passar!

Hoje meu berimbau vai tocar Iúna…

Desejo muita saúde e Axé à tod@s Camaradas!

Vacina já para tod@s!

Força na Luta! Força no Luto!