Poesia do Dia: Manoel de Barros

Do livro Menino do Mato:

“Tenho o privilégio de não saber quase tudo.

E isso explica

o resto”.

Manoel de Barros

28000018_gg

Anúncios

Toque de Iúna para Cruz e Sousa

Noite de 19 de março.

No jardim do Palácio.

Protestos pelo descaso do Memorial Cruz e Sousa.

J.B. e sua aclamada representação do nosso poeta.

Toque de Iúna para Cruz e Sousa.

Forte emoção. Corpo arrepiado.

Ao final a beleza e leveza das Velhas Guardas do nosso samba…

Iê Viva Cruz e Sousa!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Casa Arrumada

“Casa arrumada  é assim:
Um lugar organizado, limpo, com espaço livre pra circulação e uma boa entrada de luz.
Mas casa, pra mim, tem que ser casa e não um centro cirúrgico, um cenário de novela.
Tem gente que gasta muito tempo limpando, esterilizando, ajeitando os móveis, afofando as almofadas…
Não, eu prefiro viver numa casa onde eu bato o olho e percebo logo: Aqui tem vida…
Casa com vida, pra mim, é aquela em que os livros saem das prateleiras e os enfeites brincam de trocar de lugar.
Casa com vida tem fogão gasto pelo uso, pelo abuso das refeições fartas, que chamam todo mundo pra mesa da cozinha.
Sofá sem mancha?
Tapete sem fio puxado?
Mesa sem marca de copo?
Tá na cara que é casa sem festa.
E se o piso não tem arranhão, é porque ali ninguém dança.
Casa com vida, pra mim, tem banheiro com vapor perfumado no meio da tarde.
Tem gaveta de entulho, daquelas que a gente guarda barbante,
passaporte e vela de aniversário, tudo junto…
Casa com vida é aquela em que a gente entra e se sente bem-vinda.
A que está sempre pronta pros amigos, filhos…
Netos, pros vizinhos…
E nos quartos, se possível, tem lençóis revirados por gente que brinca ou namora a qualquer hora do dia. Casa com vida é aquela que a gente arruma pra ficar com a cara da gente.

Arrume a sua casa todos os dias…
Mas arrume de um jeito que lhe sobre tempo pra viver nela…
E reconhecer nela o seu lugar”.

Carlos Drummond de Andrade (1902-1987)